Recado do seu filho

1. Não me estrague. Sei perfeitamente que não devo ter tudo que peço. Estou apenas testando você.
2. Não tenha medo de ser firme comigo. Prefiro assim, para me sentir mais seguro amanhã.
3. Não me deixe adquirir maus hábitos. Tenho que contar com você para eliminá-los, desde as primeiras vezes.
4. Não me faça sentir menor do que sou. Isto só fará com que me comporte como “grande” ridículo.
5. Não me corrija com aspereza diante dos outros. A repreensão será mais proveitosa se feita calmamente/em particular.
6. Não me faça sentir que minhas faltas são pecados. Isto subverte meu senso de valores.
7. Não me proteja das consequências. E bom que de vez em quando eu aprenda sofrendo na própria pele.
8. Não se sinta chocado quando eu digo: “Odeio você!” No fundo, não é você que odeio, é seu poder de me contrariar.
9. Não ligue muito para certas dorezinhas de que às vezes me queixo. Quase sempre não passam de um truque para conseguir a atenção que preciso.
10. Não seja ranheta comigo. Do contrário, para me proteger, serei obrigado a parecer surdo às suas reclamações.
11. Não se esqueça de que não sei ainda me exprimir tão bem quanto desejaria. Este é o motivo por que nem sempre sou muito exato em minhas explicações.
12. Não faça promessas irrefletidas. Lembre-se que fico tremendamente frustrado quando uma promessa não é cumprida.
13. Não tabele muito alto meu grau de honestidade. Isto facilmente me assusta, a ponto de me levar a dizer mentiras.
14. Não seja incoerente. Cria em mim uma confusão tal que me faz perder a fé em você.
15. Não me diga nunca que meus medos são bobagens. Para mim, eles são terrivelmente reais e você contribuirá muito para me dar segurança se tentar entendê-los.
16. Não se descarte quando faço perguntas. Se não eu paro de lhe perguntar as coisas e você vai descobrir que agora busco minhas respostas em outros lugares.
17. Não queira aparecer nunca como perfeito ou infalível. Para mim será um choque forte demais descobrir que você não é nenhuma das duas coisas.
18. Não pense jamais que cairá do pedestal de sua dignidade perante mim se tiver que me pedir desculpa. Saiba que uma desculpa honesta só faz aumentar minha atmosfera de intimidade com você.
19. Não se esqueça do quão depressa estou crescendo. Deve ser duro para você acompanhar meu ritmo, mas, por favor, tente.
20. Não se esqueça de que gosto de experimentar. Sem isto não posso ir adiante.
21. Não se esqueça de que não posso florescer senão com um bocado de amor e compreensão.

Bárbara Hudson

Anúncios

Pais construtores de caráter?

“Instrui a criança no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele.” – Provérbios 22.6

Você sabia que a criança também passa por crise? E que à medida que ela se desenvolve suas crises vão ficando cada vez mais difíceis e vão determinando seu caráter? Para a criança recém-nascida a família já é seu porto seguro ou não, porque é no meio familiar que ela irá sentir-se amada ou rejeitada.

1- Crises na infância. Existem?

Vamos pensar nesses bebês e refletir sobre suas crises na infância.

Ismael – Gênesis 16.15-16;

Isaque – Gênesis 21.2-3;

Moisés – Êxodo 2.2-3;

Samuel – 1Samuel 1.20-22;

Jefté – Juízes 11.1-3.

A construção do caráter acontece desde o momento da concepção, quando os pais começam a passar seus valores conversando com a criança ainda no ventre. Os pais, felizes por saber que ali no ventre tem um ser em formação, conversam, juntos, com o bebê, acariciam a barriga como se estivessem tocando o feto, beijam o ventre como se estivessem beijando o filho em formação e outros até colocam música para que o pequeno ser possa ouvir e sentir-se amado. Essas atitudes já fazem parte da construção do caráter dessa criança que está para chegar ao mundo. No filme Adorável Professor vemos uma cena linda. O pai, professor de música, demonstra seu amor e carinho pelo filho que irá nascer colocando música na barriga da mamãe. No filme Desafiando Gigantes, a mamãe já ama seu filho mesmo antes de concebê-lo. Daí podemos observar que esta criança será recebida com muito amor, carinho e afeto, ocupando seu lugar na família como presente de Deus para complementar a felicidade do casal.

De acordo com Erick Erickson, a criança enfrenta algumas crises desde que ocupa seu lugar no mundo. Nos primeiros momentos de vida ela percebe se é amada ou rejeitada, sentimentos que são percebidos conforme a qualidade do relacionamento que os pais têm com ela. Quando pensamos ou falamos de criança, sempre levamos em consideração a criança como um todo, e não paramos para analisar a criança em seu processo de desenvolvimento, por este motivo nos deparamos com tantos adultos com dificuldade de relacionamento em diversas áreas da vida.

A criança em seus primeiros meses de vida identifica a mãe pelo cheiro, pela voz, pelo toque (Winnicot). Às vezes, o bebê está chorando no colo de alguém, quando a mamãe o pega em seu colo, imediatamente, ele para de chorar. A criança em seus primeiros dias de vida precisa confiar em seus pais. Será isso possível? Sim! Quando suas necessidades são satisfeitas, quando ela está alimentada, limpinha e sequinha, ela agradece ficando quietinha e tranquila. Ela se sente segura. Se estes cuidados não forem observados, essa criança crescerá insegura, sem confiar em ninguém.

A construção do caráter é um processo iniciado ainda no ventre e acompanha o indivíduo por toda sua vida. Todo distúrbio de comportamento tem seu início na infância. Por essa razão, é muito importante que os pais procurem conhecer mais profundamente a criança e acompanhar seu desenvolvimento em todas as fases, pois cada fase vivida vem com uma crise diferente. Entendendo a criança como ela é, a melhor coisa a fazer é seguir os conselhos do sábio Salomão que diz: “Instrui a criança no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele” (Pv 22.6).

Durante as fases de desenvolvimento, a criança passa pela autoaceitação do “eu” como identidade. Ela desenvolve sua autonomia, que é bem trabalhada na escola, nas primeiras séries da Educação Infantil. Nessa fase, os pais precisam estar atentos para não prejudicarem a autoestima da criança, tratando-a com respeito e oferecendo apoio, elogiando os mínimos progressos para que ela não venha a se sentir inferiorizada e incapaz de superar seus fracassos. Alguns pais, quando o filho mostra o boletim, feliz da vida por não ter ficado abaixo da média, dizem em tom grosseiro: “Deveria ter tirado 10”. Tiram todo o estímulo da criança em ter procurado fazer o melhor. O pai e a mãe, quando os filhos conseguirem uma vitória, por menor que seja, devem incentivá-los de tal maneira que eles possam continuar na busca de feitos maiores. É não dizer: “Está errado!” Mas, sim: “Você pode fazer melhor”. Às vezes, até quando a criança cai e procura com o olhar a ajuda dos pais, e ouve: “Deveria ter quebrado esse ou aquele órgão”. Que contribuição esses pais estão dando na construção do caráter dessa criança?

2- Fantasia infantil, realidade adulta

A criança vive no mundo do faz-de-conta e através das brincadeiras é que ela forma seu caráter, constrói seu mundo real, descobre qual profissão deve escolher. Ela aprende brincando, aprende fazendo no seu mundo infantil.

A Bíblia diz: “Vós pais não provoqueis a ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor” (Ef 6.4). E tantos pais, por insensatez ou desconhecimento da profundidade de seus atos na construção do caráter de seus filhos, fazem a triste comparação entre irmãos. (Como Rebeca que amava mais a Jacó e Isaque a Esaú.) Conhecemos o fim dessa história. Pais que provocam a ira aos filhos, o ódio entre irmãos, fazendo a triste comparação: “Você deveria ser como seu irmão que só nos dá prazer” ou “Você não chega a lugar algum, você é burro, não aprende nada. Já seu irmão, esse sim, tem futuro”. A rejeição dos irmãos de José a ele foi criada por ser ele o filho preferido de Jacó. Não é de se admirar, pois Jacó teve o exemplo em sua casa, na infância. Pais, observem o que Paulo disse a Timóteo: “Tem cuidado de ti mesmo”. É bom parar e refletir sobre o comportamento de seus filhos. Será que os desajustes não estão sendo provocados por você? Pelas suas preferências? Pelas suas atitudes e palavras? Tenha cuidado, avalie seu comportamento dentro do lar. Não seja como aquele pai da conhecida ilustração. A filha dizia que gostaria que a família morasse na igreja, porque lá seu pai era um, em casa, outro. O caráter dos nossos filhos está o tempo todo sendo construído por nós, pela nossa maneira de ser e viver. Se mentirmos, nossos filhos aprenderão a mentir; se falarmos a verdade, independentemente das circunstâncias, nossos filhos serão honestos e verdadeiros e nos admirarão muito mais. Terão prazer de dizer que são nossos filhos.

Crianças, desde bebês, enfrentam crises as mais diversas. Você acredita que bebês também têm depressão? Têm sim! Outro dia, uma instituição que cuidava de bebês carentes foi fechada porque todos os bebês daquela instituição estavam com depressão. Criança em construção precisa de amor, carinho, aconchego e cuidados.

Pais, não entreguem seus filhos a cuidado de terceiros. Eles não são objetos, nem troféus. São crianças, filhos, herança do Senhor. Como presentes de Deus, cuide bem desse tesouro que Deus lhe confiou.

Gerar um filho é fácil e prazeroso, mas educá-lo é uma tarefa difícil e desafiadora. Quando decidir ter um filho, planeje logo a melhor forma de educá-lo e eduque-o com o que há de melhor. A Bíblia é o melhor e mais completo código de ética e moral. Nela podemos encontrar todas as diretrizes para uma vida vitoriosa e nessa “rota 66” encontraremos tudo que precisarmos para educar, instruir, exortar, disciplinar e viver uma vida harmoniosa e equilibrada sem esquecer que a criança “aprende o que vive e vive o que aprende”. Portanto, seja exemplo em tudo, lembre-se que há alguns olhinhos espertos sempre olhando para você e percebendo se são amados ou rejeitados. A criança espelha-se em você.

Conclusão

Reflita nesse poema a seguir:

Se a criança vive sob crítica, ela aprende a condenar;

Se a criança vive sob hostilidade, ela aprende a brigar;

Se a criança vive ridicularizada, ela aprende a ser tímida;

Se a criança vive sob humilhação, ela aprende a sentir-se culpada;

Se a criança vive com tolerância, ela aprende a paciência;

Se a criança vive com encorajamento, ela aprende a ter confiança;

Se a criança vive com louvor, ela aprende a apreciar;

Se a criança vive com compreensão, ela aprende a justiça;

Se a criança vive com segurança, ela aprende a ter fé;

Se a criança vive com aprovação, ela aprende a gostar de si mesma;

Se a criança vive com aceitação e amizade, ela aprende a AMAR.
Que exemplo você está sendo para seus filhos? Quais sentimentos eles estão desenvolvendo? Quais sentimentos você nutre por eles? Por quê? Você já foi criança. Como foi seu mundo do faz-de-conta? Eles a influenciaram de alguma forma? Como você vê o mundo do faz-de-conta dos seus filhos? Como pais cristãos, faça sua parte.

Fonte:União Feminina Missionária Batista do Brasil

Abril mês da ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL

“Lâmpada para os meus pés é a tua Palavra,e luz para os meus caminhos” ( Salmos 119:105)
A ênfase das igrejas Batistas no mês de Abril é a Escola Bíblica Dominical.

Este é ,sem duvida,o mais importante departamento de uma igreja,pois esta inteiramente voltado ao ensino da Bíblia Sagrada.A Escola Bíblica Dominical é a principal responsável pelo fortalecimento dos crentes em Jesus.É na EBD,assim carinhosamente chamada,que desde cedo se aprende os preceitos bíblicos e cristãos.Muitos grandes servos de Deus,homens e mulheres,em todo mundo tiveram seu encontro com a vontade de Deus através da EBD.

Em nossos dias a EBD continua sendo de suma importância,porem,desprezada em muitas igrejas.O povo de Deus na atualidade esta mais voltado para a adoração,para o louvor,para a celebração,que para o conhecimento de Deus,Seu caráter e Sua vontade.Isso explica a fragilidade e a deturpação da igreja.Deus disse através do profeta Oseias:”O meu povo tem sido destruído por lhe faltar conhecimento”.(Oseias 4.6)No mesmo livro,em 6.3,temos o incentivo da Palavra:”Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor.”

O povo de Deus quer adorar,cultuar,e desfrutar de suas bênçãos,mas sem conhecê-lo.Podemos aplicar à igreja hoje as palavras de Jesus dirigidas à samaritana:”Vós adorais o que não sabeis…” (João 4.22)

Valorizemos a EBD.Separemos a manha de Domingo para estudar a Palavra.

Pastor Cleveland
Fonte:Boletim Dominical, 11 de Abril da Igreja Batista Memorial_Divinopolis-MG

CHEGUEI!!!!

Por enquanto estou novinho em folha e todos me chamam de Ano Novo.Com o passar do tempo esse nome ficará para trás.Mas o que importa é que estou aqui.Fui dado por Deus a você.Sou um presente,uma oportunidade,uma nova chance,um tempo novo.
Ainda estou me sentindo estranho,pois os olhares que recebo são muito diversificados.Há os que me olham com Esperança,certos de que serei cheio de novidades boas e alegres.Há os que me olham com Desconfiança,pois os anos que me precederam não foram como esperavam.Nem tudo saiu do jeito que desejaram.Há também os que me olham com Medo,pois não sabem o que trago em meu interior.(Na verdade,nem eu mesmo sei,ainda).Isso sem falar nos que me olham com indiferença,nada esperando de bom ou ruim…Mas vejo alguns olhares diferentes e dos quais gosto muito:são os olhares dos crentes em Jesus,dos filhos de Deus,que embora não conhecendo o meu interior,aquilo de que serei portador,me olham com fé,não em si mesmos ou em mim,nutrindo expectativas que eu não sou capaz de suprir.Mas olham-me com Fé no Deus Vivo,aquele que fez de mim uma realidade,que me controla e me governa..Esses sim,terão um Feliz Ano Novo,pois se em mim acharem alegrias ou tristezas,saúde ou enfermidades,ganhos ou perdas,estarão firmados na pessoa do Deus que servem,que estará com eles e será o seu sustento em todas as circunstãncias e situações.
Que todos me olhem como os filhos de Deus: com fé firme,forte e inabalável.Esse é o segredo para que eu seja para todos um tempo de muita felicidade.
Assinado: Ano Novo

Senhor,ajuda-me a viver esse ano com os meus olhos fitos em Jesus,e que eu jamais me esqueça de Sua promessa de que estaria comigo todos os dias até a consumação dos séculos.Amém!

Alerta!!!! O perigo de ser somente um seguidor

Amigos,quero compartilhar com vocês algo muito desagradável que aconteceu comigo nessa semana que passou:-descobri que uma de minhas seguidoras que não tinha blog,era na verdade,fachada para um blog erótico de homossexuais ,e que continha fotos eróticas.Não pretendo aqui entrar no mérito dessa questão,mas extrair uma lição para minha vida.
As vezes ficamos tão obcecados em aumentar o número de nossos seguidores que adicionamos qualquer um que entre em nossos blogs.É um tal de receber recadinho pedindo para ser adicionado que as vezes fico me perguntando se realmente nos importamos com os nossos seguidores.Tem gente que tem prá lá de 500 seguidores,( Dá para manter contato com todos?)Quanto a mim,não me preocupo com a quantidade,mas busco criar laços de amizade,mas alguns nem ao menos deixam um recado,querem apenas que você também se torne um seguidor,sabe como é:”Eu te sigo,você me segue”,e assim vamos levando nossas vidas despreocupadas,felizes por ver crescer o número de seguidores de nossos blogs.Parece uma grande corrida para se saber quem tem mais seguidores.Penso que deveríamos estar mais preocupados em realmente pregar a Palavra e criar sim,porque não,laços de amizade com os nossos seguidores do que ficarmos ´contabilizando o número de seguidores de nossos blogs.Salomão já dizia:”Vaidades,diz o pregador;vaidade de vaidades,tudo é vaidade.”Eclesiastes 1.2
Fica o alerta: Atenção!Nunca adicione nenhum seguidor sem primeiro saber a procedência de seu blog.Não vale a pena nos preocuparmos com a quantidade,o importante é a qualidade daqueles que seguimos e que nos seguem.
Falando nisso me lembro-me que em certa ocasião Jesus que estava sempre seguido por multidões,depois de fazer um discurso muito duro,dizendo que muitos o seguiam apenas pelo que Ele podia lhes dar,muitos dos que o seguiam desistiram,voltaram as costas e abandonaram Jesus.
Quero com isso deixar uma pergunta para você meditar.
Você é apenas um seguidor de Jesus pelo que Ele tem feito na sua vida ou é um discípulo,ou melhor dizendo,servo do Senhor Jesus,pronto a seguí-lo até a morte se preciso for?
Pense nisso!

Deus ama os pequeninos


Quando fiz o curso da APEC,houve questionamentos à respeito de se evangelizar crianças,da necessidade de salvação dos pequeninos por parte de algumas irmãs,que vieram até a deixar o curso por acharem que criança não é pecadora e por isso não necessita ser salva.

Eu creio que todo aquele que tem condições de compreender o que é certo ou errado,precisa conhecer Jesus,e reconhecê-lo com Senhor e Salvador.
Mas o que eu queria dizer mesmo é que vale a pena o trabalho com os pequeninos,porque a Bíblia diz:”Aquele que leva sai chorando,levando a semente para semear,voltará com cânticos de júbilo,trazendo consigo os seus molhos”.

E como isso é verdade!Vejam essas fotos que tirei num trabalho realizado com meninos carentes de uma favela há muitos anos.Plantamos a semente,e hoje,quase todos estão firmes em uma igreja,não na minha,mas em outras denominações que também pertencem a Jesus.

Precisamos nos preocupar com as crianças marginalizadas,não fazendo acepção de pessoas.Essas crianças das fotos eram as vezes espancadas,passavam fome e eram extremamente carentes de amor e orientação sobre higiene entre outras coisas.
Essas fotos foram tiradas num dia que ganhei alguns yogurtes e levei para eles,por causa de um fato que me marcou muito:”Uma irmã deu alguns trocados para um deles comprar balas,mas ele não entendeu que eram para ele.Quando ela disse isso a ele,na mesma hora seu semblante ficou triste,e quando ela perguntou o motivo ele respondeu:-Se eu soubesse que era para mim o dinheiro teria comprado um yogurte porque outro dia eu achei um no lixão,mas minha mãe não me deixou tomar porque tinha bichos”.

Triste não é meus amigos?

Eu tenho um sonho: “Um dia vou criar um projeto para trabalhar somente com crianças de rua”,porque crianças limpinhas já tem gente demais para evangelizar.
Ah,essa loirinha da foto é minha caçulinha bem pequena ainda,e eu estou do lado de cá da foto hehehe…

Pastorear as crianças: nosso compromisso

Carlos Queiroz“Assim diz o Senhor, meu Deus: Apascenta as ovelhas destinadas para a matança. Aqueles que as compram matam-nas e não são punidos; os que as vendem dizem: Louvado seja o Senhor, porque me tornei rico; e os seus pastores não se compadecem delas” (Zc 11.4,5)O texto de Zacarias fala de ovelhas destinadas à matança. As crianças têm sido as principais vítimas da matança na sociedade brasileira. Segundo o UNICEF, 16 pessoas menores de 18 anos morrem por dia vítimas de homicídios no Brasil.Muitos de nossos meninos e meninas tiveram suas infâncias roubadas, seus sonhos perdidos, seu futuro interrompido. São literalmente banidos e excluídos do direito de viver com dignidade. Perdem antecipadamente a infância porque a sociedade acelera os processos naturais de formação de nossas crianças.São raros os pastores e pastoras que se dedicam às crianças. Muitas igrejas se transformaram em empresas religiosas mantidas por clientes potencialmente capazes de pagar a conta do negócio religioso. Como as crianças não estão em fase de produção econômica, são relegadas a um plano secundário, ou totalmente esquecidas. Se pensarmos nas crianças pobres, o problema fica mais grave. Neste caso nem as crianças nem seus pais conseguem pagar a conta do negócio religioso.Se somos seguidores de Jesus Cristo, precisamos praticar o pastoreio de crianças com mais intencionalidade. Entre outros compromissos, Jesus priorizou a criança como a pessoa mais importante do reino de Deus. Zacarias denuncia que “os seus pastores não se compadecem delas”. Escrevo com profundo pesar, indignação e ao mesmo tempo com o desejo de despertar pastores e pastoras comprometidos a combaterem toda forma de violência contra a vida de crianças e adolescentes.Somos filhos e filhas do reino de Deus e temos por vocação proteger e servir a todas as crianças. É direito delas o acesso a todos os ministérios e serviços do povo de Deus. Precisamos lhes propiciar espaços onde sejam mais percebidas como atores da revelação de Deus e não como objetos dos desejos desumanos e interesses comerciais. Jesus disse: “Qualquer que receber uma criança, […] a mim me recebe; e qualquer que a mim receber, não recebe a mim, mas ao que me enviou” (Mc 9.37).A atitude de proteção e cuidado com as nossas crianças é muito mais do que um significativo gesto de amor e justiça para com elas. É uma questão de compromisso com o Deus Eterno, Pai protetor de todas as crianças. Ele as protege por meio de homens e mulheres que resolveram continuar a história da salvação, preservando a vida, cuidando e amando uns aos outros, praticando a justiça contra o opressor. Faça de sua família, sua igreja, sua comunidade um lugar onde o bem vence toda a forma de mal.Pai! Dá-nos a graça e a coragem para interferirmos contra o assassinato de tantas crianças e adolescentes. Rogo pelas mães que perderam a sensibilidade maternal. Sei que são raras, mas lamento que as situações de injustiça e violência tenham gerado algumas mães tão frias e indiferentes. Peço perdão pela omissão da minha geração. Peço perdão pela indiferença e omissão de nossas igrejas. Como pastor, peço por mim e pelos meus pares. Que o Senhor nos conceda a sabedoria e o engajamento necessários para tornar abundante a vida de nossas crianças e adolescentes.

Carlos Queiroz, casado, dois filhos, é diretor-executivo da Visão Mundial no Brasil e autor de Ser É o Bastante – felicidade à luz do Sermão do Monte (Editora Ultimato, Encontro Publicações, Visão Mundial, 2006).Imagem: desenho de Liz Valente